domingo, 10 de maio de 2009

penso nas cortinas que preciso rasgar


Vencendo o império de incertezas,
vencendo a si mesmo
sem nenhuma metáfora,
sem estonteantes versos de efeito

Caminho por meus próprios labirintos,
pelos abismos que estão aqui mesmo...
com sono, absorvido
pelas entranhas do novo dia

Homem comum,
o mais comum entre os comuns
vivendo os mesmos temores,
as mesmas brigas,
a mesma sensibilidade quem tens

Penso em Fernando Pessoa,
na ascenção e queda das muitas nações,
dos muitos homens e mulheres...
penso nas cortinas que preciso rasgar

(edu planchêz)

Um comentário:

sil disse...

Também penso!!!!mas estamos no caminho, isso é o q importa.bjss Du