sexta-feira, 23 de outubro de 2009

ASAS DA CARNE







ASAS DA CARNE,
REMO REVIRANDO-SE EM TONÉIS DE NUVENS,
ENTRE O REINO DAS FORMIGAS
E A LÍNGUA DO HOMEM QUE FALA COM DEUSES NUS

BOCA FÊMEA COBERTA DE LEITE
E ESTRELAS DE GELATINOSAS


(edu planchêz)

Um comentário:

Juciane ( Juh) disse...

Nossa que deliciaa de poema Edu...ameiii querido e amado poeta
Beijos Juh