quarta-feira, 7 de outubro de 2009

túnica dourada






Você que me ouve,
também te ouço,
bem aqui no fundo das pedrinhas,
nas torrentes nobres,
nas penas da ave migratória

Todos que me ouvem
são veias e artérias
do meu organismo sentimental

Ó grande família!
Contas do colar
a envolver meu corpo,
a alegria de estar vivo,
a túnica dourada das noites
e dos dias

(edu planchêz)



Um comentário:

sil disse...

sublime demais esse poema!!!!