sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A LIBÉLULA




A Libélula diz que meus poemas à tocam a alma,
mas a alma é feita de gás, bolhas de flor
e especiarias

minha alma tem cor de queijo com vinho,
para que ela se inspire
e crie jardins de parreiras e ovelhas
no centro do olhar,
no centro da lua de Vênus,
em suas vulcânicas entranhas

(edu planchêz)

Um comentário:

Juciane ( Juh) disse...

Simplesmente Apaixonei...brigadu meu poeta...amo-te