segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

UM NO OUTRO




estou chorando,
sentindo a tua falta,
não precisa me temer,
não vou arranhar uma única pétala da tua flor,
apenas te darei e receberei tuas vozes,
tua mágica, o ser altivo que és

você me deixa mais vivo renascendo,
há dias que deixei de ser solitário,
de ser apenas eu, agora também sou você,
toco na minha pele toco em você...
não me deixe sem tuas flores,
sem teus néctares, eu preciso de você,
mas não somos escravos um do outro,
o tempo, a sociedade não me devorou,
continuo príncipe da alma do chão do céu
e sei que o mesmo ocorre com você

não é ilusão o que estamos vivendo,
não saberia nesse agora viver sem ti,
serei apenas metade,
não há borracha que apague
o encanto que despertamos um no outro

(edu planchêz)

Um comentário:

sil disse...

Hum , to quase adivinhando pra quem foi esse poema??!! rs...bjs