domingo, 10 de maio de 2009

somente a minha poesia


Não adianta você me negar,
me jogar para segundo plano,
fazer de conta que não estou presente...
Minha poesia há de lhe por de joelhos...
Maior que a minha poesia
somente a minha poesia...
e a poesia de Charles Baudelaire
e a poesia de Flor Bela Espanca
e a poesia de Cícero e Virgilio...

Está registrado na história desse tempo
que você me negou,
que me deixou esperando horas e horas,
que me trocou por ilustres, por sexo,
por senhores e senhoras cobertos de jóias...

A luz das luzes tudo vê,
o céu dos céus nada esquece...
mas eu te perdoo,
compreendo a tua fome,
as tuas vãs necessidades...
(quanta perda de tempo)
(quanta leviandade)

Lí num livro sagrado:
"Quando a verdade se cala,
as meias verdades são aplaudidas!"


(edu planchêz)

2 comentários:

Rodrigo Luz disse...

é..poesia esta em tudo..esta acima de tudo...se todos observassem isto..o mundo seria melhor...

sou fã de suas poesias..acompanho seu blog e sempre dou uma lida...

http://debaixodocogumelo.blogspot.com/
Filosofia SuRRealista de Botequim

sil disse...

nossa !! de quem será que vc fala nesse poema?? fiquei curiosa ...bjss